18 Jul

Fanfic: Abandoned cap.37


Abandoned


Autora: NessieBlossom4

Capítulo 37: Mentiras

Estávamos na sala.
Afrodite tinha ido vestir-se e não voltara a aparecer, pelo que calculei que tinha ido dormir.
Erik estava sentado ao meu lado, absorto em qualquer coisa que eu não conseguia pressentir, e Theodora andava de um lado para o outro a olhar pela janela, ansiosamente.
Quando o silêncio se tornou insuportável, virei-me para Erik:
–O que é que se passa? –perguntei, baixinho.
Ele fechou os olhos, concentrando-se.
–Tenho sede, muita sede.
Olhei para Theodora, mas ela pareceu não se aperceber que tínhamos falado.
–Não consigo suportar –continuou ele –Consigo sentir tudo nela, o coração a bombear o sangue delicioso, a jugular a pulsar no pescoço, cada único capilar que pulsa na pele dela… Está a matar-me.
–Eu sei –respondi –Conheço isso… Parece ter-te possuído, não te deixa respirar sem a olhares, sem a sentires e desejares… Parece chamar-te, e só queres passar lá a língua, sentires o liquido fluir nos teus lábios… Mas melhor ainda será quando lhe tocares realmente, a explosão de sabor, o desejo por mais…
Agora estávamos ambos a olhá-la, e quase a salivar.


Estremeci e abanei-me, afastando o pensamento.
Tirei o frasco pequenino do bolso e abri-o.
–Toma, bebe um pouco.
Ele olhou-me com estranheza, pegou no frasco e cheirou-o.
O aroma dominou-o e ele deu-lhe um golo.
Abriu os olhos, espantado.
–Por Nyx! Zoey, onde arranjas-te isto?!? E o que é?
“É Nyx…” pensei, ironicamente.
–Não interessa, mas é bom o suficiente para acalmar o estômago.
–Zoey… -murmurou, olhando-me –Tu não…
–Claro que não! Não matei ninguém, não é o sangue do Heath, e não o retirei de nenhum ser vivo!
–Então… Como o arranjas-te? .perguntou.
–Já te disse que não é da tua conta!
Ficámos um bocado em silêncio, até que Theodora se veio sentar à nossa frente.
–E agora? –perguntei-lhe.
–Pois… -respondeu –Não sei… Segundo a tua história, não podem voltar para a Casa da Noite, então a vossa única opção será ficarem aqui…
–Quer dizer aqui? Aqui em sua casa?
–Pois, não encontro uma outra solução… Não deve haver problema, ficam nos quartos que vos preparei…
–E –acrescentou Erik –Como eu já sou vampyro, tu e a Afrodite estão seguras, porque estarão sempre perto de mim.
–Mas fazemos o quê? –insisti –Não podemos viver aqui para sempre, à muita coisa para fazer!
–.Podemos sempre ficar aqui até encontrarmos uma solução…
–Não –protestei –Há demasiada gente a sofrer, lá fora, neste preciso momento! O que é que fazemos por eles?
Ele suspirou.
–Zoey… Não podemos estar sempre em todo o lado a salvar o mundo todo! Não existe maneira de salvares toda a gente, e há quem tenha de partir agora, não podemos fazer nada por esses…
O quê? Ele só podia estar louco! Não podíamos fazer nada por eles… Podíamos, podíamos salvá-los, podíamos arranjar-lhe outra oportunidade, ou podíamos ficar ali, naquele abrigo, sem fazer nada.
Nesse momento, Lord apareceu, e gatinhou para cima de mim.
–Acho –disse Theodora –Que ele quer falar contigo.
Olhei-a, confusa.
–Ele diz que falou com a… Alisha? –fitei-a com mais atenção, e acenei com a cabeça –Ela… Ela diz que Neferet está louca… “Loren foi Morto” é o que ela anda a gritar! Está tudo um caos lá fora, o Jason foi-se embora, diz que vos viu –“Que nos viu” pensei, ele devia ter-me visto com Erik! Coitado… -Ela está com o Luke… Uma rapariga loira queria matá-la por não lhe dizer o que te tinha acontecido… Ela estava com uma negra… Erin, era o nome dela, e a outra psicótica era a Shaunee… Quer saber onde estás… E porque demoras… Zoey, o que te aconteceu?
Paralisei, sem perceber bem. Erin e Shaunee estavam bem, o que era um alivio, e tinham tentado matar Alisha, o que quer dizer que não estavam magoadas, mas não podia deixá-las saber de mim.
–O que queres que ele lhe diga? –perguntou Theodora.
Pensei, por uns momentos, mas descobri que era a minha única opção.
Virei-me para o gato preto no meu colo, que me fitava com os grandes olhos azuis, como se previsse o que ia dizer.
–Diz-lhe que morri, que encontras-te o meu corpo.
Erik fitou-me, chocado, e Theodora olhou-me compreensivamente.
–Vais magoá-la. –disse, dando voz aos pensamentos de Lord.
–Eu sei que sim –murmurei –Mas dessa forma ela não me procurará, qualquer outra forma seria demasiado perigosa…
E juro que o vi acenar com a cabeça!
–Bem, então está decidido! –exclamou Erik –Nós façamos aqui, tu morreste.
–Sim –concordou Theodora.
–Hum hum –fiz, acenando –E acho que me vou deitar. Desculpem.
Avancei até ao corredor.
De caminho, passei no quarto de Afrodite. Sabia que ela não estava a dormir, mas fingi que acreditava na farsa dela, e depois passei no de Stevie Rae, que nem tentava disfarçar as lágrimas.
–Acreditas Zoey? Que eu o matei? –perguntou, aos soluços.
–Acredito –respondi – Acredito que sim. E acredito que é um monstro –sim, disse mesmo aquilo –E também acredito que vais mudar, e que não serás sempre assim. Eu vou resolver-te Stevie Rae, a sério que vou, e posso não saber como, mas vou fazê-lo.
Tinha dito toda a verdade, tudo o que sentia, e deixara de mentir-lhe, e dizer-lhe que tudo ia correr bem. Naquele dia, já estava farta de mentir.
–Obrigada –murmurou, secando as lágrimas –Obrigada por teres sido honesta Zoey… Eu acredito em ti.
Acenei, simplesmente, e sai do quarto dela.
Dirigi-me ao meu, que ficava ao fundo do corredor, e deixei que tudo o que tinha suprimido se abate-se, finalmente, sobre mim.

CONTINUA….

Share this

Leave a reply