13 Jun

Resenha Marcada: Tempo à Toa

Marcada Capa alta

A série tem lugar num universo alternativo,mais precisamente em Tulsa, Oklahoma,onde os humanos e os vampiros sempre coexistiram juntos. Zoey Redbird é uma adolescente de 16 anos prestes a tornar-se num vampiro e encontra-se a frequentar a escola House of Night. Aqui irá eventualmente transformar-se ou morrer no processo. Mas a jovem não é igual aos outros e cedo as suas diferenças fazem-na sobressair. Contudo as suas características carregam consigo vantagens mas também responsabilidades que se revelarão fulcrais ao longo da sua jornada…

“Depois deste dia minha vida nunca mais seria a mesma.”pág. 19

“O sorriso de Neferet foi gentil.

– Tudo ficará bem, Zoey. Agora deixe-me apresentá-la a sua nova vida.” pág. 68

Bela surpresa, queridos à toas! É desta forma que inicio esta resenha: dizendo que me arrependi profundamente por não ter começado a ler esta ótima série antes! E pensar que eu já possuía todos os livros de “House of Night” em casa… bom, nunca é tarde para começar, né?

Esta série da mãe e filha P.C. Cast e Kristin Cast nos remete a história da adolescente Zoey Redbird, que, aparentemente era uma garota de 16 anos comum…até ser Marcada por um guardião vampiro. E, desde então, ela precisará enfrentar pessoas e situações que a levarão sempre ao limite físico e mental (afinal, quem gostaria de se tornar vampira aos 16 anos e abrir mão de sua vida convencional?).

Mas Zoey não tem outra escolha: em meio a brigas intermináveis com sua mãe (a qual é totalmente submissa) à seu padrasto (que ela detesta, e com razão), a garota decide se juntar a todos os outros novatos alunos vampiros na escola preparatória Morada da Noite.

Apesar de ter que largar seu quase ex-namorado (jogador de futebol, loiro e lindo, apesar de meio “crianção”) Heath e sua amiga Kayla, nem tudo acaba sendo ruim: Zoey conta com o apoio de sua avó, Sylvia Redbird (uma autêntica Cherokee, que é uma raça de seres guerreiros sensitivos e que, acima de tudo, acreditam no poder dos quatro elementos: terra, fogo, água e ar), que está sempre pronta para ajudá-la.

Acontece que, antes de se juntar aos demais na Morada da Noite, logo após ser Marcada com o emblema clássico da Deusa Vampira Nyx (que é uma clássica lua crescente na testa, de cor safira), Zoey passa por uma, digamos… “viagem espiritual”, na qual a própria deusa Nyx lhe diz ser especial e lhe dá sábios conselhos. Isso mexerá profundamente com Zoey.

Bom, ao chegar na Morada da Noite, Zoey é muito bem recebida por Neferet, Sacerdotisa da Deusa e maior autoridade da Morada. Ela é responsável, entre outras coisas, por iniciar os cultos de adoração Deusa Nyx e invocar os cinco elementos de poder (ar, água, fogo, ar e espírito) para proteção dos novatos e veteranos vampiros. Além disso, ela é mentora de Zoey, e a ajudará na descoberta de seus poderes (que, até o meio do livro, será uma incógnita, hehe).

Zoey também fará diversos amigos, tais como: Stevie Rae (colega de quarto de Zoey), Damien, Shaunee, Erin e conhecerá um belo vampiro veterano que balançará seu coraão: Erik Night… e também adotará uma liiiinda gatinha, chamada Nala (FOFA DEMAIS!)… preparem-se para dar muuuitas risadas com os amigos de Zoey, eles são realmente divertidíssimos! E claro, preparem-se também para suspirar com Erik, o cara é simplesmente um cavalheiro!

Maaaas como nem tudo é perfeito, nossa aprendiz de vampira ainda vai encarar um osso duro de roer, e ele vem rodeado de cabelos longos muito loiros e de um sorrisinho bem sarcástico: é Aphrodite, líder de um grupo seleto chamado Filhos das Trevas, e fará da vida de Zoey um verdadeiro inferno!

Aaaaah, e pra melhorar a trama, um pequeno detalhe: Zoey, assim como todos os outros novatos recém-marcados, passará por transformações físicas e mentais e seu corpo terá que superar estes processos, pois caso seu organismo rejeite a transformação para vampiro, ela simplesmente sangrará até morrer! Ui!

Em meio a intrigas, magia, romance (Zoey ficará balançada entre, pasmem, 3 garotos! Sendo que o terceiro é surpresaaaaa, rs), sangue (siiiiim, afinal, estamos numa história sobre vampiros! rs) e muito mistério, “Marcada” abre as portas para o mundo sombrio e assustadoramente irresistível de House of Night… onde nem tudo o que é luz é bom, e nem tudo o que é escuro é do mal…


Considerações Finais

Essa foi uma ótima e leve leitura, queridos à toas! Achei-a bem escrita, com elementos que me fizeram rir em diversos momentos. Inclusive, em determinados trechos na trama, pude me colocar no lugar de Zoey (mesmo tudo sendo mera ficção e não havendo possibilidade da maioria das coisas ocorrerem realmente), o que dinamizou a leitura. As páginas pareciam virar sozinhas de tão gostosa que foi a leitura desse livro.

Apesar de nos remeter a uma trama com vampiros, achei o desenvolvimento do tema original e diferente de tudo o que eu já havia lido.

A história é contada sobre o ponto de vista de Zoey, ou seja, narrada em 1ª pessoa, com narrador onipresente (conta e participa dos fatos transcorridos).

Adorei a capa também. Pra ser sincera, acho todas as capas da coleção House of Night bem clássicas e modernas ao mesmo tempo. Gosto do lance de aplicar uma única cor em contraste com a capa preta… bacana, mesmo! Lembrando que a série já ganhou outros modelos de capas, e que essa mostrada nessa resenha é, digamos, a capa “original”. ^^

Com uma trama bem desenvolvida, personagens cativantes e situações que mesclam efeitos sobrenaturais com fatos cotidianos, “Marcada” merece um lugarzinho de respeito em sua estante! E prepare-se e reserve um espaço maior, pois assim que voc~e ler o primeiro volume, precisará ler os demais! ^^

Leitura recomendada!


Créditos: Paula Henry

Fonte: Tempo à Toa

Share this

Leave a reply