10 Jun

Resenha Traída: Tempo à Toa

TRAIDA

Uma bela continuação pra uma série que começou muito bem. É assim que inicio esta resenha, meus queridos à toas. Apesar de ser uma declarada fã da saga (sério, fiquei viciada nos livros!), confesso que, logo no começo, tive um certo preconceito ao iniciar a leitura da coleção, achando que seria mais uma batida história envolvendo vampiros e sangue…BEEELO ENGANO! ^^

Bom, logo após o fim do primeiro livro, quando Zoey “derrota” sua inimiga Aphrodite e salva Heath dos fantasmas bebedores de sangue, durante o ritual da Lua Cheia, ela percebe realmente ter um poder bem acima dos demais e de qualquer outro novato já visto. Com isso, ela conquista uma certa popularidade e admiração dos alunos da Morada da Noite. E, de quebra, acaba conquistando olhares atenciosos de um certo poeta “vamp”, chamado Loren Blake (meniiiiinas, preparem-se: vocês suspirarão demais com este beeeeeelo vampiro!), um cara mais velho que tira o fôlego de Zoey logo em seu primeiro contato visual.

Mas antes tudo fosse fácil, não é? Não podemos nos esquecer que Zoey namora (ou não?) o vampiro Erik Night (que é lindo de morrer, haha) e mantém uma séria e forte ligação com seu ex-namorado humano Heath (o qual foi “carimbado” por Zoey, ou seja, eles possuem uma forte relacionamento psíquico, que os une de maneira intensa)…. Claaaro q Heath ainda é apaixonadíssimo por Zoey, o que torna suas escolhas ainda mais difíceis…

Zoey aprende a manusear seus poderes e a controlar de maneira mais madura os cinco elementos (água, ar, fogo, terra e espírito) e, a cada dia que passa, consegue projetar o círculo dos elementos de maneira mais fluida. Com a ajuda de seus amigos Stevie Rae, Shaunee, Erin e Damien, eles manterão essa ligação entre os cinco elementos cada vez mais forte…

Apesar de tudo correr bem entre eles, Aphrodite continuará à solta. E, dessa vez, tendo visões cada vez mais aterrorizantes. De um momento para o outro, ocorrem assassinatos de jovens humanos, que sofrerão escoriações graves no corpo, aumentando a suspeita de terem sito mortos por vampiros…será possível?

Além de ter que resolver esse mistério, Zoey descobrirá que sua mentora e grande Sacerdotiza Neferet esconde alguns segredos…e que nem tudo é o que parece realmente ser.

Contando com a ajuda e a intuição de sua avó, Zoey terá que arrumar forças para desvendar o que rola por trás desses crimes…e se a Morada da Noite tem mesmo algo a ver com tudo isso.

Em meio a muito romance (Zoey e seus 3 pretendentes, rs), ação, terror (muuuitos monstros nos assustarão neste volume!) e mistério, “Traída” promete nos mostar o que a Deusa Nyx disse a Zoey logo no primeiro livro: “Nem sempre a luz representa o bem, assim como nem toda escuridão representa o mal”.


Considerações Finais

Bem, queridos à toas, este livro segue a mesma tendência do primeiro: narrado sob os olhos de Zoey, em 1ª pessoa e com narrador onipresente, o livro é super fluido e traz muitos acontecimentos interligados entre si, que nos farão fixar os olhos em cada página do livro.

Destaque para os diálogos entre Zoey e seus amigos, principalmente com Stevie Ray: ela é muuuito engraçada e nos fará dar boas risadas em diversas passagens!

Para quem sentiu falta de algum drama no primeiro livro, prepare-se: o final deste volume reserva coisas tristes, felizes e muita ação, até o último parágrafo!

Sem comentários para a capa, seguindo a mesma tendência de seu primeiro volume, conta com um fundo preto e desenhos numa única cor, dando um toque moderno e clássico ao mesmo tempo. Na minha opinião, uma linda capa!

Com um ótimo enredo, otimos diálogos e uma leitura deliciosa, “Traída” vai fazer você querer lutar ao lado de Zoey contra as forças do mal.


Créditos: Paula Henry

Fonte: Tempo à Toa

Share this

Leave a reply